Eu queria ter uma habilidade, umazinha se quer. Depois de tempos tentando escrever nesse blog, cheguei à mera conclusão de que não sei escrever :/ O que me deixou muito triste. Por um período de tempo (ou melhor, na minha vida inteira) eu tinha a plena certeza de que seria jornalista. Pelos caminhos da infância, lá estava ela, a pergunta que nunca cala: - O que você vai ser quando crescer? - & eu, fugazmente respondia: Jornalista! Com todas as letras, do meu melhor jeito. Esse era o meu orgulho. Mas pera lá, pra ser jornalista não é preciso saber escrever, não é preciso não ter medo & se colocar na posição de jornalista e não mais de pessoa. Há um limite entre ser jornalista e ser uma mera pessoa. O jornalista enquanto exerce sua profissão, esquece seus medos do lado de fora. O medo de ver alguém morrendo, o medo de ver um crime, o medo de presenciar as mais variadas cenas de injustiça. E como se não bastasse, alem de presenciar é preciso recorrer aos fatos. Tirar a satisfação que a sociedade queria tirar, fazer as perguntas mais comprometedoras sem o medo de ser escorraçado. Pois bem, falta isso e muito mais em mim. Às vezes pra eu escrever um simples texto demoro tempos e tempos, e mesmo assim não sai como eu esperava. Ah, quanta inveja de quem senta e se deixar levar pelas palavras que tomam conta do corpo, da mente & saem em forma de texto. Isso se chama vocação. Depois de anos e anos respondendo com toda voracidade que minha profissão se chamava Jornalismo, eis que a vida vem me dizer, assim, meio que de mancinho, tentando me dar os pêsames, que não sirvo pra isso. & parece que veio me dizer também que não sirvo pra nada. Não achei nada que eu me destaque. Achei que eu fizesse bem as coisas que eu gosto de fazer, mas parece que não. Eu amo fotografia e as vezes eu até acho que sei tirar fotos, mas descobri que não. Preciso de muuuito tempo pra olhar uma paisagem e lembrar-se de algum ângulo que fique legal, algum ângulo que certamente eu já tenha visto em algum banco de imagem por ai, porque na minha mente não há fertilidade. Eu queria ser boa em alguma coisa, só uma coisa! Eu poderia talvez saber tocar violão, levantar uma parede, caçar Tatuí na praia ..

& eu queria escrever muitas outras coisas que estão pressas na minha mente, mas eu não sei traduzir pro papel. & como eu não sei escrever, eu termino meu texto aqui mesmo.

2 comentários

  1. Moniele Vilela on 2 de junho de 2010 07:22

    Carine eu tenho que te falar:Você não está SOZINHA! Cara vc é muito parecida comigoo..aiai eu tbm tenho o mesmo dilema, o mesmo mesmoo! Queria ser jornalista mas num tenho queda e até hj não decidi o que fazer, tbm adoro fotografia mas num rola,já fui em tres mostras de profissão e até hj não escolhi a minha. ha! mas aki acredite vc tem o dom de escrever ...adoru os seus textos!

     
  2. Andreza on 2 de junho de 2010 14:38

    se vc não sabe escrever, eu devo ser analfabeta xD
    bem, não vou tentar te animar pq eu odeio quando banco a auto-depreciativa e o povo fica me dize ndo: " que isso, vc não é assim..." e outros blás blás blás.
    o que eu quero te dizer é que todo mundo se sente inútil e incapaz nesse mundo, mas que nem sempre isso corresponde a realidade. e que talvez vocação seja só uma palavra romantica para designar um sonho perseguido com afinco e uma vontade muito grande de desenvolver uma habilidade que pode não ter nascido com você... Relaxe, o que tiver que ser será!!!
    bjos